Home / Beleza / Mulheres se queixam do aparecimento do bigode chinês. Como resolver?

Mulheres se queixam do aparecimento do bigode chinês. Como resolver?

Marcas de expressão ao redor dos lábios é uma das maiores queixas das mulheres, mas há tratamentos específicos para essa região

O bigode chinês é uma marca de expressão que vai surgindo com o passar do tempo na região da face, formando dois vincos, um de cada lado do rosto que se inicia no nariz e vai até a parte lateral dos lábios. A pele, de forma natural, vai perdendo a elasticidade, tornando as rugas mais aparentes e por isso essa marca vai ficando cada vez mais aprofundada e marcada no rosto.

É mais comum aparecer o bigode chinês a partir dos 30 anos, mas há casos em que o aparecimento pode acontecer mais cedo. O termo clínico do bigode chinês é sulco nasogeniano. É ocasionado pelo processo do envelhecimento natural da pele e pode ser potencializado por fatores externos. “Essas marcas acontecem por conta das nossas próprias expressões faciais entre os lábios e as bochechas, e pela perda do colágeno com o passar do tempo deixa a pele mais elástica, tornando essa marca mais visível e incomoda”, explica Elaine Vasconcelos, biomédica esteta especialista em procedimentos faciais.

Há três fatores que explicam o aparecimento do bigode chinês. “Primeiro porque a nossa pele vai ficando mais frouxa com a perda de colágeno e elastina e consequentemente começa a aparecer a flacidez. Em segundo porque há a reabsorção dos coxins de gordura que ocasiona a falta de sustentação da pele ocasionando a queda da face dando o aspecto de rosto derretido, e terceiro pela perda de sustentação pontual no próprio bigode chinês”, diz Elaine.

Outros fatores que podem favorecer o aparecimento até precoce do bigode chinês:

  • Exposição ao sol sem proteção, que prejudica a pele tornando-a mais seca, com maior probabilidade de aparecimento de rugas, mudança na textura da pele e consequentemente evidenciando as linhas de expressão;
  • Uma alimentação sem ser equilibrada e o consumo excessivo de açúcar no organismo;
  • Beber pouca água ao longo do dia;
  • Emagrecimento de forma rápida causando a aparência de bochechas derretidas ou caídas;
  • Noites mal dormidas e poucas horas de sono;
  • Tabagismo que causa a perda da produção de colágeno e elastina;
  • O tabagismo e o uso em excesso de bebidas alcoólicas.

Com a alta tecnologia dos procedimentos faciais existem ótimas opções de tratamentos para essa queixa. Na clínica deElaine, cerca de 95% das pacientes querem reduzir as marcas do bigode chinês. “Hoje em dia não é necessário a realização de uma cirurgia ou de um processo extremamente invasivo para tratar essa marca. É possível conquistar um rosto mais jovem e uma pele saudável com os procedimentos estéticos e obter resultados muito satisfatórios”, conta.

Sobre os tratamentos, Elaine sempre preza pela naturalidade do rosto e afirma que tratar a flacidez como forma de prevenção é o melhor caminho para esse incômodo. “O tratamento de prevenção logo no início do aparecimento é o ideal para conseguir devolver o tônus de pele, ou seja, a condição natural de flexibilidade e de firmeza da pele, para quando fizer a reposição desses coxins de gordura com o ácido hialurônico, esse produto se acomodar ainda melhor, já que esse tecido estará preparado para receber e acomodar esse ácido hialurônico de uma forma natural com uma pele tratada que tenha sustentação para manter a naturalidade no resultado”, explica.

Para todo tratamento de bigode chinês o estímulo de colágeno se faz necessário que pode ser feito através dos bioestimuladores de colágeno. “São produtos injetados na pele que vai fazer com que a própria pele produza o próprio colágeno. Vai reorganizar essas fibras de colágeno e elastinas já existentes no nosso organismo, dando mais elasticidade e tônus para essas fibras já existentes, devolvendo firmeza a essa pele e estimulando a produção de novas fibras de colágeno”, explica. Esse processo de produção de colágeno está agindo no organismo em torno de 6 meses a contar da data de aplicação.

Aliado aos estímulos de colágenos há o tratamento com a radiofrequência, que é um aquecimento na camada profunda da pele. “Esse processo de aquecimento nas camadas mais profundas da pele, atua no remodelamento das fibras já existentes de colágeno e elastina e também estimula a produção de colágeno novo. Outro processo é a tecnologia do ultrassom microfocado na qual ele faz micro figurações nas camadas mais profundas da pele, chegando quase na musculatura da face. Esse ultrassom também vai reorganizar as fibras de colágeno e elastina já existentes e vai fazer com o que o nosso organismo produza novas fibras, proporcionando efeito lifting, tônus e dando mais sustentação e firmeza a essa pele”, explica a biomédica.

O melhor tratamento para a flacidez de pele, assim tratando e prevenindo o bigode chinês, é a junção dos bioestimuladores de colágeno com uma das tecnologias de radiofrequência ou o ultrassom microfocado. “A verdade é que um procedimento potencializa o outro. A grande questão é por qual procedimento iniciar o tratamento, pois será a constância que irá devolver qualidade à pele. O segredo é dar continuidade nos tratamentos para cada vez mais melhorar a qualidade da pele. Nesses procedimentos, só devolvemos o que a pele perde e com isso mantemos a naturalidade. Não precisa de exageros. Pode ser realizado na região do blush quanto pontual no próprio bigode chinês”, finaliza.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Scroll To Top

Celebritys Worlds